Escola bíblica Dominical-Jacó, um exemplo de um caráter restaurado

A paz do Senhor meus queridos irmãos, segue o comentário da lição Escola Bíblica Dominical, falando sobre Jacó, um dos muitos exemplos de restauração de caráter na bíblia sagrada.

A comentarista nossa de cada dia, é a irmã Silvania, gestora de alunos no Clube de Pregadores. Como tudo precisa evoluir e crescer, estamos trazendo o comentário da lição sem o texto da lição, somente os títulos e o subsídio abaixo. Para que você possa usar o texto na revista e acompanhar o comentário aqui.

Você pode salvar em PDF e imprimir nossos subsídios, levando o comentário para sua sala de aula e ampliar ainda mais com seus alunos. Boa aula 🙂 .

Escola Bíblica Dominical- Jacó, um exemplo de um caráter restaurado Lição 5 – 30/04/2017

Texto Áureo (Rm 9:13)

Verdade Prática: Com base em sua paciência e proposito, Deus escolhe pessoas para que cumpram seus desígnios.

jacó

Jacó, um exemplo de um caráter restaurado

INTRODUÇÃO

Graça e paz a todos, estamos dando a início a mais uma maravilhosa lição que vem nos trazendo algo de muito aprendizado ar respeito da vida de Jacó.

Isaque e Rebeca tiveram dois filhos, Jacó e Esaú, estes eram gêmeos, Esaú era mais voltado para a caça e para o campo, enquanto que Jacó era mais voltado para os serviços domésticos, com a ajuda da sua mãe conseguiu usurpar o direito a primogenitura que era por legitimidade do seu irmão Esaú, e isso foi possível através da mentira e do engano, com o qual resolveu enganar seu próprio pai.

Essa atitude custou-lhe muito caro, e ele provou do seu próprio veneno, quando também foi enganado pelo próprio sogro o enganador passou a ser enganado, contudo Jacó alcançou a misericórdia de Deus e o desfecho desta história tão intrigante veremos a seguir.

I – QUEM ERA JACÓ

O filho mais novo de Isaque

Jacó fez parte dos três patriarcas que marcaram a história de Israel: Abraão, Isaque, Jacó, embora sua mesma história fosse marcada e cheia de altos e baixos espirituais.

Rebeca sua mãe era estérea, não podia ter filhos e foi através das orações de Isaque que o senhor teve misericórdia e permitiu que ela concebesse, não só um filho, mas gêmeos que estavam no ventre brigando, no Nascimento Esaú nasceu primeiro e Jacó veio logo após segurando o calcanhar do seu irmão e através desta atitude seu nome passou a ter o significado de aquele que segura pelo calcanhar ou suplantador que tem o mesmo significado.

O preferido de sua mãe.

Com certeza que Jacó era preferido da sua mãe, enquanto que Esaú era preferido do seu pai, pois cuidava dos campos.

Quando Isaque quis dar sua benção a Esaú, Rebeca  resolveu induzir a Jacó à enganar seu pai, preparando um delicioso guisado a gosto do marido e deu as devidas orientações a seu filho de como enganar o pai, Isaque que já era velho e cego abençoou seu filho mais novo enganado pensando ter abençoado o mais velho, Esaú quando chega da caça e fica sabendo do acontecido, desenvolve dentro dele um ódio incontrolável pelo irmão, ainda assim foi abençoado pelo pai mas com uma benção menor e jurou no seu coração matar seu irmão, Jacó teve que fugir ameaçado por seu irmão, fechando um quadro triste da história em que vemos a preferência dos pais causando divisão familiar. 

O preferido de Deus

Deus não escolheu Jacó como o terceiro patriarca de Israel pela simples benção de Isaque, não que a benção de Isaque não tivesse valor algum, muito pelo contrário, a benção que o pai dava ao seu filho primogênito era de fundamental importância, também não foi pelo fato de Jacó ter enganado, e nem por nada que Jacó tenha feito ou oferecido ao senhor mas a escolha de Deus  foi desde o ventre da sua mãe, antes mesmos que os meninos tivessem nascido, (Rm 9.9-13) era da descendência de Jacó que viria o messias e está escolha de Deus nos reforça o argumento de que o plano da salvação já havia sido traçado desde a fundação dos tempos.

II – A DIREÇÃO DE DEUS NA VIDA DE JACÓ

A visão da escada que tocava o céu

Embora Deus não tivesse aprovado seus arranjos, enganos e sua má conduta, Deus permanece com sua promessa feita a seu pai e avô, e lhe dar uma visão em sonho de uma escada posta na terra que subia até o céu e os anjos subiam e desciam e Deus estava em cima dela e se apresentou reforçando sua promessa Gn 28.13-17. Desde então Jacó passou a conhecer Deus e saber onde era sua morada. Interessante saber que Deus não muda de opinião, que ele está prestes a cumprir todas as suas promessas.

A coluna em Betel

Jacó não buscou a Deus, foi Deus que o  achou, e teve um encontro extraordinário com ele, antes do encontro com Deus Jacó era uma pessoa, depois do encontro passou a ser outra pessoa com certeza muito diferente, por isso a necessidade de termos um encontro verdadeiro com Deus para que haja mudança na nossa vida e no nosso modo de ser, Jacó experimentou a maior experiencia de sua vida em ter ouvido Deus e sentido a presença do todo poderoso e com certeza nunca mais ele pode ser o mesmo.

III – ASPECTOS DO CARÁTER DE JACÓ

Antes do seu encontro com Deus

Até ter chegado a Betel pode-se dizer que Jacó era um homem natural que nunca tinha sequer estado perto de Deus, Oportunista e egoísta ele revela de imediato seu caráter, aproveitando-se da fome do seu irmão para lhe vender um prato de comida (Guisado), sabemos que, no entanto, ele deveria dividi-la com seu irmão, isso é uma prova de ambição e egoísmo (Gn 25.31).

Interesseiro e calculista Jacó além de se aproveitar de um momento de fome do seu irmão fez com que Esaú jurasse que venderia a sua primogenitura para sempre, ele conseguiu a primogenitura da pior maneira possível esquecendo que tudo que se planta se colhe (Gl 6.7).

Com um temperamento fleumático, um caráter mentiroso e enganador, não foi difícil para Jacó mentir e enganar o pai, sustentando sua façanha diante de três perguntas frequentes do seu pai, 1 mentira – quem és tu? Ele disse que era Esaú(Gn 27.19), 2 mentira – Isaque pergunta porque ele chegou tão cedo em casa? “Porque o Senhor, teu Deus, a mandou ao meu encontro” (Gn 27.19), 3 mentiras – Ao abraçar Jacó, Isaque repetiu que era Esaú – “Eu sou” (Gn 27.24). A resposta destas tristes mentiras vemos na própria palavra de Deus que nada tem escondido de nós.

 Depois do seu encontro com Deus

Podemos perceber que o encontro com Deus, transforma o homem de uma maneira que ele jamais será o mesmo, notemos que o caráter duvidoso e oportunista de Jacó, era quando ele era um homem natural, não é à toa que Paulo em uma das suas epístolas nos escreve ar respeito disto “O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque se discernem espiritualmente” (I Coríntios 2.14)

Jacó passou a ver as coisas de maneira diferente e entender que nada do que pudesse possuir seria pelos seus próprios esforços e fez um voto a Deus exatamente como fizera seu avô Abraão, porque agora ele era um homem espiritual e conseguia discernir tudo de maneira espiritualmente.

Ao chegar na casa de seu parente (tio) foi enganado, trabalhou sete anos por uma mulher e na hora de casar casou-se com outra sem saber, completamente enganado, só veio descobrir na lua de mel, e continuou sendo enganado por mais vinte anos na qual seu salário foi mudado dez vezes, esse é o resultado, do engano da mentira do pecado, você pode até ser perdoado, mas as consequências das coisas erradas que fazemos vem, mais cedo ou mais tarde.

Mas ele estava na direção de Deus, depois de trabalhado e enganado, saio para a terra dos seus pais como o senhor lhe falou: “ E disse o SENHOR a Jacó: Torna à terra dos teus pais e à tua parentela, e eu serei contigo” (Gn 31.3, 13).

No seu encontro com Esaú

Ao se aproximar de onde seu irmão estava Jacó enviou mensageiros a Esaú avisando que ele voltara, seus mensageiros avisaram que Esaú estava vindo ao seu encontro com quatrocentos homens, e ele tremeu, “Então, Jacó temeu muito e angustiou-se; e repartiu em dois bandos o povo que com ele estava, e as ovelhas, e as vacas, e os camelos” (Gn 32.7-12)

Mas uma vez Jacó teve um encontro com Deus e este iria mudar sua vida para sempre, assim como mudou seu nome porque ele havia lutado com Deus e recebera o nome de Israel. Ao encontrar seu irmão nada foi como ele esperava, os dois se abraçaram e se perdoaram.

Conclusão

A vida de Jacó não é muito diferente da vida de muito de nós que tivemos o caráter transformados depois de um encontro com Deus.

Podemos afirmar que de enganador, oportunista e egoísta Jacó passou a ser um homem humilde, que tinha um caráter esforçado e sofredor, graças a Deus ele teve esta oportunidade de transformação e é isso que nós desejamos para todos aqueles que precisam de um encontro verdadeiro com Deus, um encontro daqueles que transforma a vida e a alma,

Jacó logo demostrou o seu caráter oportunista, seu nome significava Deus protege, Se compararmos, muitos de nós temos a vida parecida com a de Jacó, uma vida cheia de altos e baixos espirituais.

Perdeu alguma lição? Clique Aqui!

Clique para saber mais sobre CPAD

Como Pregar a Palavra de Deus?

Inscreva-se Gratuitamente para receber atualizações do blog e Baixar o Guia Prático para Elaborar Sermões do Clube de Pregadores

maxwell de lira

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *