Uma Salvação Grandiosa

Uma Salvação Grandiosa – o autor do livro aos Hebreus, inicia o livro com uma forte advertência, era necessário que os crentes tivessem maior firmeza em relação as coisas espirituais.

Foi observado pelo autor, que havia um certo desinteresse por parte dos cristãos da época no que diz respeito a salvação.

Uma Salvação Grandiosa

I – UMA SALVAÇÃO GRANDIOSA

 1 – Testemunhada Pelo Senhor

 O autor do livro aos Hebreus faz uma diferença entre a antiga aliança e a nova aliança, enquanto a antiga aliança foi intermediada por anjos a nova aliança teve Jesus Cristo como seu mediador.

Então o autor passa a analisar as duas alianças para que o contraste entre as elas fique bem definido. Foi Jesus o filho de Deus e não os anjos quem anunciou essa tão maravilhosa salvação.

2. Proclamada Pelos Que a Ouviram.

A salvação foi anunciada em primeiro pelo Senhor, e depois por “aqueles que a ouviram” (Hb 2:3),

Fica claro neste texto que o autor não foi uma testemunha dos feitos de Jesus, mas foi um dos que, receberam a palavra por meio de outros, dos que a “ouviram”.

Mesmo não tendo recebido a palavra diretamente de Jesus o autor não tinha duvidas de que a mensagem apostólica que recebera era de fato a palavra de Deus.

Por isso se fazia importante que os crentes fossem diligentes e observasse os preceitos do Novo Testamento.

3. Confirmada pelo Espírito Santo.

A mensagem do evangelho que foi anunciada pelo Salvador Jesus e depois testemunhada por aqueles que a ouviram, foi feita instrumento pelo Espírito Santo.

O Espírito Santo é quem está por traz de cada milagre e sinais que foram operados na história do povo de Deus, tanto no passado na história de Israel como no presente hoje, na nossa história.

II – UMA SALVAÇÃO NECESSÁRIA

 1. Por intermédio da humanização do Redentor.

O autor aos Hebreus, escreve ao seu publico judeus que tinha uma mentalidade de que o homem foi feito a coroa da criação e a ele fora dado todo o domínio,

Mas, devido a queda esse domínio fora tomado. Esse foi o motivo do autor ter citado o Salmos 8 como pano de fundo,

Porque esse salmo jamais poderia se aplicar a Adão, nem a nenhuma raça após a queda, mas única e exclusivamente a jesus, o messias, que através da cruz veio restaurar a homem caído.

2. Por Meio do Sofrimento do Redentor

A ideia de um messias sofredor para um judeu do século primeiro era escandalosa, eles não aceitariam a ideia de um messias que tivesse morrido na cruz,

Como poderia o autor assegurar que Jesus era superior aos anjos se ele mesmo morreu na cruz?

O autor de Hebreus usou o versículo 5 do Salmo 8: “Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste.” (Sl 8:5)

Jesus teria se feito um “pouco” menor do que os anjos por causa da sua humanização. Dai os intérpretes entendem

que as palavras “pouco” e “pouco tempo” citados em Hb 2:7,9 podem está se referindo a posição de tempo.

Em outras palavras Jesus tornou-se “menor” do que os anjos enquanto estava vivendo os limites da condição humana

e experimentou o sofrimento que veio deste estado de humilhação, no entanto foi através deste mesmo sofrimento de Cristo que os homens tornaram se livres.

3. Por Intermédio da Glorificação do Redentor

Na mente do autor, cristo foi coroado de glória e de honra por intermédio do seu sofrimento

“coroado de glória e de honra, […] para que, pela graça de Deus, provasse a morte de todos (Hb 2:9).

Em outras palavras Cristo não sofreu para ser glorificado, mas Ele foi glorificado porque sofreu.

III – UMA SALVAÇÃO EFICAZ

1. Vitória Sobre o Diabo

O autor termina seu argumento concluindo que era preciso que o Salvador sofresse e morresse pelos homens, somente por meio de sua morte na cruz, o diabo seria derrotado.

2. Vitória Sobre a Morte

A morte passou a ser um inimigo temido, depois que o pecado entrou no mundo, a morte era uma arma poderosa nas mãos de satanás,

Mas quando cristo morreu na cruz Jesus venceu a morte, os homens continuam a morrer, mas aqueles que aceitarem Jesus como salvador,

Tem a vida eterna, pois a morte não tem mais domínio sobre eles.

3. Vitória Sobre a Tentação

No capítulo 2, versículos17, pela primeira vez o autor usa a palavra “sumo sacerdote” Referindo-se a Jesus,

Depois o autor resolve explorar com mais profundidade em posteriores passagens(Hb 3:1; 4: 14-16; 5:1-10; 6:20; 7:14-19, 26-28; 8:16; 9:11-20; 10:1-39).

O autor aponta Jesus como o sumo sacerdote misericórdioso e fiel, por ter assumido forma humana

E se identificado com os homens nos seus limites, Ele sabe o que é ser tentado e está pronto a nos ajudar.

Conclusão

Foi através da cruz que Jesus tornou-se o sumo sacerdote que representa a humanidade, os anjos são seres que estão a serviço de Deus,

Mas Jesus veio buscar a descendência de Abrão, os crentes. Através do seu sofrimento e morte, Jesus pode dar vida aos que estão mortos.

Veja Outras Lições da EBD Aqui

Como Pregar a Palavra de Deus?

Inscreva-se Gratuitamente para receber atualizações do blog e Baixar o Guia Prático para Elaborar Sermões do Clube de Pregadores

Silvania Soares

Graça e paz a todos! Meu nome é Silvania Soares, sou cristã há mais de trinta anos, congrego na Assembleia de Deus, tenho ministério de ensino e sou Bacharel em Teologia. Amo ensinar a palavra de Deus e formar novos pregadores. Comecei como aluna no clube de pregadores, onde, graças a Deus e ao conhecimento aquirido no clube, trabalho corrigindo as lições e efetuando os comentários bíblicos e também postando estudos.

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *